PUBLICIDADE

Mulher é assassinada após funcionárias serem rendidas em atacadista de Campo Grande

Campo Grande News em 28 de Julho de 2022

Reprodução/Redes Sociais

Andreia Aquino Flores, de 38 anos, que morreu durante assalto

Andreia Aquino Flores, de 38 anos, morreu durante assalto em sua casa, no condomínio no Chácara Cachoeira, em Campo Grande. Ela vivia sozinha numa das casas do residencial, segundo vizinhos. A vítima é filha do pecuarista Ocídio Pavão Flores, que foi diretor do Sindicato Rural de Ponta Porã.

A suspeita é que a causa da morte tenha sido por asfixia, embora a vítima estivesse bastante machucada, com hematomas no rosto, perto dos olhos e testa. A polícia investiga se o sufocamento se deu por causa da mordaça usada para calar a mulher ou se ela foi asfixiada propositalmente. Na cena do crime, ela foi encontrada sentada e encostada numa parede.

Além de policiais do Batalhão de Choque e dos GOI (Grupo de Operações e Investigações) da Polícia Civil e DEH (Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes de Homicídios), os primeiros a chegar ao local, equipes da Derf (Delegacia Especializada em Roubos e Furtos) e do Garras (Delegacia Especializada em Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) também estão nas apurações.

Duas funcionárias de Andreia relataram à polícia que foram rendidas num atacadista na Rua Marquês de Lavradio, e levadas até a casa no Residencial Parque Cachoeira, onde estava a patroa – que foi agredida, amarrada e amordaçada. 

Na versão das funcionárias, elas foram ameaçadas pelos bandidos que estavam dentro do Jeep Compass da vítima. Interrogadas, disseram que não sabiam informar se travaram ou não o veículo antes de entrar no mercado. Quando voltaram das compras, foram surpreendidas e receberam a ordem de seguir até o condomínio.

Já no imóvel da pecuarista, elas dizem que foram amarradas em um dos quartos da casa, enquanto os supostos ladrões abordaram a dona da residência e a levaram para um outro quarto.

Depois que os criminosos pegaram alguns pertences da vítima, um das empregadas teria sido obrigada a tirar os assaltantes do local e levá-los até um ponto no Bairro Tiradentes, na mesma região, onde foi libertada.

A distância entre o mercado e o condomínio é de 2 minutos e a polícia busca imagens de câmeras de segurança desse trajeto. 

Família tradicional de Ponta Porã

A pecuarista Andreia Aquino Flores vem de família tradicional de Ponta Porã. Filha do casal de produtores rurais Ocídio Pavão Flores e Joana Aquino Flores, donos de vasto patrimônio, incluindo imóveis rurais e urbanos, gados, maquinários e empreendimentos. 

Dentre as propriedades fazendas nos municípios de Guia Lopes da Laguna e Bela Vista. O pai morreu em janeiro de 2013 em Dourados em decorrência de infarto sofrido em março de 2012. Ele chegou a ficar internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, recebeu alta para ser tratado em casa, mas meses tentando recuperação não resistiu.

A mãe ainda reside em Ponta Porã e assim como a irmã, Andreia morava em Campo Grande. A advogada Ildália Aguiar de Souza Santos disse que “a família vai se manter em silêncio” e que vai aguardar a investigação transcorrer para atuar de alguma outra forma. A suspeita é de latrocínio.

A pecuarista tinha acabado de completar 38 anos e era divorciada.

(matéria editada para acréscimo de informação)

PUBLICIDADE