PUBLICIDADE

Marquinhos Trad pede desculpas à esposa e às filhas e nega crimes sexuais

Campo Grande News em 29 de Julho de 2022

Reprodução

Ex-prefeito admitiu relações extraconjugais, mas disse que nunca desrespeitou ninguém

O ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, divulgou vídeo de 4 minutos e 45 segundos, onde pede desculpas a esposa Tatiana Trad e às 4 filhas. Ao falar pela primeira vez, em público, sobre acusações de assédio sexual e favorecimento à prostituição dentro da Prefeitura, ele admitiu relações extraconjugais, mas negou crime.

O Campo Grande News editou os principais trechos do material. Em um dos momentos, Marquinhos diz que "errei sim, em buscar relacionamentos fora do meu casamento. Mas não cometi crime algum e nunca, em nenhum momento, desrespeitei o exercício do cargo que os campo-grandenses confiaram a mim."

Mesmo sem detalhar quais seriam essas relações extraconjugais, assegurou que não deve nada à Justiça. "Perdão eu devo sim, mas a Deus, minha esposa e às minhas 4 filhas. Tatiana (a esposa), a quem passarei a minha vida tentando reparar o que fiz. A ela e as minhas 4 filhas, que estão sendo maltratadas, machucadas, ofendidas com todas essas mentiras. A elas e a Deus eu devo tudo. Mas não devo nada, absolutamente nada à Justiça ou a quem me acusa com objetivo eleitoral".

Segundo Marquinhos, todas as denúncias são "caluniosas, com depoimentos comprados e vazados de forma seletiva, em tempo recorde" para prejudicá-lo na disputa pelo governo de Mato Grosso do Sul. 

Sem citar nomes ou rivais políticos, ele garantiu que sua equipe tem provas do que considera armação. "Entregamos até o PIX feito a uma das mulheres para mentir a meu respeito. Essa mulher que agora está sendo ameaçada", afirma.

Marquinhos anunciou que já solicitou formalmente a "intervenção do Ministério Público Federal para instauração de inquérito, para investigar abuso do poder político, econômico e de crime eleitoral", assim com investigação de violação de sigilo processual, já que depoimentos das supostas vítimas foram divulgados.

Ele também cobra "providências ao Tribunal de Justiça para apuração de crime de ameaça e até denunciação caluniosa".

Marquinhos alega que só falou sobre o assunto agora por um dever político. "Fiquei calado até agora, mas indignado com a baixaria...mas ao mesmo tempo sinto que devo esclarecimentos...Eu vou até as últimas consequências", avisou.

PUBLICIDADE