PUBLICIDADE

Drogas, armamentos, dinheiro e roupas foram apreendidos durante a Operação Ágata Oeste

Leonardo Cabral em 28 de Julho de 2022

Divulgação/ Exército Brasileiro

Operação Ágata teve duração de 10 dias na região do Pantanal

A Operação Ágata Oeste foi encerrada nesta quinta-feira, 28 de julho, na região da fronteira de Corumbá com a Bolívia. O Comando da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira informou a apreensão de 2,13 kg maconha; 1,07 kg de cloridato de cocaína; 27,16 kg de pasta base de cocaína e 41 kg de folha de coca. 

Também foram apreendidos três toneladas de roupas, 13 munições e 1 carregador e dinheiro em espécie, totalizando o valor de R$ 3.780,00. Com sede em Corumbá, a 18ª Brigada de Infantaria de Pantanal foi responsável por cobrir cerca de 822 quilômetros de fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia. A operação, que conta com a participação de forças de segurança municipais, estaduais e federais, busca prevenir e reprimir os crimes transfronteiriços e ambientais na faixa de fronteira, com foco na região do Pantanal de Mato Grosso do Sul.

Também, de 18 a 27 de julho, a Marinha do Brasil, atuou com o emprego dos navios Monitor Parnaíba, Navio-Transporte “Paraguassu”, Navio de Apoio Logístico Fluvial “Potengi”, Navio-Transporte Fluvial “Almirante Leverger”, Navios-Patrulha “Penedo” e “Poti”, seis Lanchas de operações ribeirinhas, sete embarcações de casco rígido, duas lanchas de apoio, duas aeronaves e 534 militares. Os navios percorreram, no total, 3.754 km nos rios Guaporé, Paraguai e Paraná, nos Estados de Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS) e Paraná (PR), em ações de Patrulha, Patrulhamento e Inspeção Naval. 

Divulgação/Marinha do Brasil

Foram fiscalizadas 533 embarcações, notificadas 64 e apreendidas 11 pela Marinha

Foram fiscalizadas 533 embarcações, notificadas 64 e apreendidas 11. Em terra, Fuzileiros Navais percorreram 3.992 km para a realização de ações de Posto de Bloqueio e Controle de Estradas, com emprego de cães de guerra, resultando em 636 veículos inspecionados.

Em conjunto com os órgãos de segurança pública e de fiscalização (OSPF) federais e estaduais, foram apreendidos 1.100 kg de maconha, 1.210 kg de carne imprópria para consumo, produtos de contrabando, como cigarros e eletrônicos e autuações por pesca ilegal, somando cerca de R$ 4 milhões em multas e materiais apreendidos. No município de Japorã-MS, na fronteira com o Paraguai, militares do Destacamento de Mergulhadores de Combate, com apoio da Polícia Federal, Polícia Militar-MS e Departamento de Operações de Fronteira (DOF), realizaram a neutralização de porto clandestino utilizado para tráfico internacional de drogas e armas. 

A Operação Ágata integra o Plano Estratégico de Fronteiras do Governo Federal está amparada pela Lei Complementar nº 97, de 09 de junho de 1999, atualizada pela Lei Complementar nº 117, de 2 de setembro de 2004, e pela Lei Complementar nº 136, de 25 de agosto de 2010.

Durante a operação, a brigada contou com tropas do 17º Batalhão de Fronteira, 18ª Companhia de Comunicações, 18º Pelotão de Polícia do Exército, todos de Corumbá-MS; da 2ª Companhia de Fronteira, de Porto Murtinho-MS; do 47º Batalhão de Infantaria, de Coxim-MS; além da cooperação do 6º Distrito Naval, de Ladário-MS, e dos Órgãos de Segurança Pública e Fiscalização.

Divulgação/ Exército Brasileiro

18ª Brigada de Infantaria de Pantanal fiscalizou 822 quilômetros de fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia

Foram mais de 760 militares do Exército que, diuturnamente, realizaram o patrulhamento na faixa de fronteira, terrestre e fluvial, Posto de Bloqueio e Controle de Estradas, abordagens e revista de pessoas, veículos, composições ferroviárias e embarcações.

Durante a operação, houve uma intensificação de ações preventivas e repressivas. O Exército calcula que o prejuízo ao crime organizado foi de cerca de R$ 1,7 milhão, devido às apreensões de drogas, armas, contrabando, descaminho, entre outros.

ACISO

Como parte das ações da Operação Conjunta Ágata Oeste, o Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) “Tenente Maximiano” realizou, de 21 a 24 de julho, atendimentos médicos e odontológicos em Porto Murtinho, no sul do MS, na fronteira com o Paraguai. Com apoio de militares do EB e da FAB, embarcados no navio, a equipe médica efetuou 408 procedimentos médicos, 720 odontológicos e distribuiu 62 kits odontológicos à população. 

Durante o período, militares da área de saúde visitaram o asilo “Lar dos Idosos – São Vicente de Paula” e a Casa Lar, de Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes. 

PUBLICIDADE