PUBLICIDADE

MS atinge 91% de vacinados acima de 18 anos e Governo garante testes à população

Portal de Notícias do Governo de MS em 19 de Janeiro de 2022

Divulgação

Secretária adjunta de Saúde, Crhistinne Maymone e presidente do Prosseguir, Eduardo Riedel

Durante a live semanal do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia), o presidente do comitê, Eduardo Riedel (secretário estadual de infraestrutura), e a secretária adjunta da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Christine Maymone, reforçaram a necessidade de vacinação da população, de testagem de casos suspeitos e revelaram que Mato Grosso do Sul já superou 90% de imunizados com pelo menos duas doses ou dose única, no público-alvo acima de 18 anos.

“O Estado atingiu marca de vacinação de 91,7% de 18 anos acima, completamente imunizados, e isso é importante para que a gente não tenha ocupação de maneira tão agressiva nos leitos hospitalares”, frisou Riedel.

O presidente do Prosseguir também disse que o aumento da testagem da população é fundamental não apenas para garantir tranquilidade à sociedade, como para orientar tomada de decisão do poder público. “Além de manter a capacidade hospitalar em todo o Estado, o governo trabalha para que não falte testes aos municípios, para que gente possa entregar para população conhecimento que ela precisa ter para se comportar de maneira a não propagar o vírus”, destacou Eduardo Riedel.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela SES, a média móvel de casos saltou de 114,1 no dia 03 de janeiro para 131,1 nesta quarta-feira (19), enquanto a média de mortes subiu de 1,1 para 3,1 no mesmo período.

Diante deste cenário, a secretária ajunta da SES chamou a atenção para necessidade de aumento de testagem da população, e voltou a orientar a população a se vacinar contra a Covid-19. “A vacina protege contra casos graves e óbitos e, principalmente, contra hospitalizações. É preciso se vacinar”, disse Christine.

Medidas

Apesar do aumento no número de casos confirmados de Covid, o secretário Eduardo Riedel afirmou que o governo por ora não irá adotar nenhuma medida restritiva, e argumentou que na macrorregião de Campo Grande, por exemplo, a taxa de ocupação de leitos de UTI está em 60%, sendo 13% de casos suspeitos ou confirmados de Covid-19 e 47% de não Covid.

“Temos mantido nossa capacidade de atendimento à saúde. Vamos continuar monitorando e conversando com a sociedade. Pedimos muito, quem não se vacinou, vacine-se. Qualquer sintoma de gripe os testes estão à disposição. Proteja-se e proteja os outros. Evite ser um vetor de contaminação, e assim vamos passar com menos prejuízo para sociedade como um todo”, finalizou Eduardo Riedel.

PUBLICIDADE