PUBLICIDADE

Morador é detido após invadir escola em Ladário com facão e simulacro de arma de fogo

Leonardo Cabral em 28 de Junho de 2022

Foto enviada ao Diário Corumbaense

Homem seguindo por um dos corredores da escola com o facão em mãos

Alunos e professores da Escola Municipal Nelson Mangabeira, localizada no bairro Alta Floresta, em Ladário, passaram por um susto na tarde desta terça-feira (28). Um idoso de 66 anos invadiu a unidade de ensino, armado com um facão e simulacro de arma de fogo, por volta das 16h. 

Imagens enviadas à redação do Diário Corumbaense, feitas no momento em que entra na escola, mostram ele caminhando por um dos corredores da instituição, no meio de outras pessoas, que parecem ser funcionários. Além disso, é possível vê-lo segurando algo, o que parece ser o facão e outro objeto.

Imagens enviadas ao Diário Corumbaense

No vídeo, uma mulher pede para que os alunos entrem para a sala de aula: “ei, vai para a outra sala lá, entra, entra, entra...”, diz. O invasor teria dito que "mataria todos os alunos" e que voltaria. Felizmente, ninguém se feriu.

A Polícia Militar foi chamada e foi até a escola, mas o homem já havia deixado o prédio. À guarnição foi relatado que uma criança teria ido buscar uma bola que caiu do outro lado do muro quando se deparou com o autor que mora em frente a quadra de esportes da escola, e que logo após, ele teria disparado um rojão na direção do aluno, mas não o acertou. Em seguida, ele invadiu o estabelecimento de ensino.

Os PMs foram até a casa do homem e no momento da abordagem, o autor estava usando um cinto de couro com coldre. Próximo dele estavam o facão, dois rojões (um já deflagrado) e um revólver de brinquedo.

A guarnição fez a detenção e o encaminhou para a Delegacia de Polícia Civil de Ladário. "Ele foi detido, levado à delegacia, qualificado, ouvido e posteriormente liberado. O facão e o simulacro foram apreendidos e serão periciados”, informou o delegado titular, Luca Venditto Basso. 

Ainda de acordo com ele, o homem relatou que invadiu a unidade de ensino porque, “crianças da escola teriam jogado uma bola no quintal da casa dele, pedras no telhado e ainda o teriam xingado e que acabou perdendo a cabeça”.

Procurada pela reportagem, a secretária municipal de Educação, Elizama Medina Reis, disse que o boletim de ocorrência foi registrado pela equipe gestora. "A Guarda Municipal fará reforço na segurança da unidade escolar e vamos acompanhar junto à Polícia, as medidas necessárias para esse caso".

A ocorrência foi registrada como "perturbação do trabalho ou do sossego alheio". 

(matéria editada para acréscimo de informação)

PUBLICIDADE