PUBLICIDADE

Comandante do Exército conhece projeto Novo Olhar e destaca trabalho da instituição

Leonardo Cabral em 29 de Junho de 2022

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

General enfatizou a educação como base para crescimento pessoal e profissional

Com uma estrutura totalmente renovada, a Ong Instituto Novo Olhar, recebeu na tarde de terça-feira, 28 de junho, o general-de-brigada Marcelo Zanon Harnisch, comandante da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira “Ricardo Franco”. Ele foi recepcionado pelos 100 alunos que integram a instituição, que tem como comandante e idealizador, Edinaldo Souza Neves, que também é cabo da Polícia Militar.

Os alunos deram as boas-vindas ao general de brigada, que inspecionou os patrulheiros e, em seguida, todos entoaram o Hino Nacional, executado pela banda do projeto, que é uma das novidades.

“Acredito que estudando na parte da manhã, no ensino púbico, elas vêm pra cá, na parte da tarde no contraturno, dar continuidade naquilo que eles trazem da família, dando um norte à eles. São matérias, disciplinas que não estão à disposição na rede escolar, ou seja, algo a mais com aquilo que eles aprendem no ensino regular. E daqui, quem sabe, sair cidadão que possa entrar para o Exército, que está sempre de portas abertas”, disse o comandante Marcelo Zanon Harnisch, destacando ao Diário Corumbaense a Educação como base para a formação desses jovens.

Para o comandante do projeto, Edinaldo Souza Neves, receber o general de brigada foi uma honra. Fortalece os laços entre o Novo Olhar e o Exército Brasileiro, umas das forças militares que inspiram o projeto.

Leonardo Cabral/Diário Corumbaense

Instituição foi fundada em 2017 e hoje atende 100 alunos

“Queremos fortalecer os laços que a instituição, no surgimento dela, levantou esse pilar. A gente se espelha no Exército, Marinha e Aeronáutica. Então, o intuito é fortalecer esses laços, com a vinda do general, que é uma das maiores autoridades na cidade. É o reconhecimento da instituição Novo Olhar pelo Exército brasileiro”, falou Edinaldo.

Novo Olhar

Localizada na antiga sede do Centro Paraguaio, na rua Cabral, entre a Silva Jardim e a Albuquerque, o Novo Olhar atende atualmente 100 crianças e adolescentes na parte da tarde, em um espaço mais amplo, com infraestrutura mais adequada e atendimentos ampliados.

O Novo Olhar tem a proposta de oferecer disciplina militar para os alunos e um reforço escolar, não imediatista, para apenas passar de ano, mas sim, estudar para que se saiam bem em provas que farão futuramente para iniciar em alguma carreira.

Durante o período vespertino, os patrulheiros mirins recebem aulas de reforço como: matemática, português, além de cursos de qualificação em informática, montagem e manutenção de microcomputadores, entre outros. Atividades esportivas também são oferecidas.

O projeto, que nasceu em 2017, é mantido graças a parcerias da iniciativa privada e ajuda dos próprios pais que participam ativamente da instituição. A criança/adolescente chega aluno e tem uma série de fases, passando por soldado, sargento, podendo chegar até a capitão. Um dos requisitos para ser graduado é ter notas 9. Mas, para estimular a liderança, a comunicação, independente da graduação, todos os dias há um "xerife" (comandante da tropa).

São 12 colaboradores e o projeto tem um gasto mensal que chega a 30 mil reais, conforme a presidente, Lilian Damiana Pires Parabá.

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Banda do Novo Olhar, durante recepção ao general

“São gastos entre colaboradores, luz, água, alimentação. Também recebemos doações de empresas privadas e do comércio. Além disso, temos recursos através do Fundo Municipal de Investimentos Sociais – FMIS e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), que nos ajudam a dar continuidade ao projeto”, explicou Lilian.

Além dos muros

Com uma nova ação, "Palavra Amiga", o Novo Olhar vai além dos muros. O projeto leva, por meio de cinco patrulheiros, assuntos para estudantes das escolas de Corumbá. São temas tratados na linguagem de jovem para jovem. Eles foram capacitados pelo Ministério Público, Defensoria Pública e Patrulha Maria da Penha.

“São assuntos como, bullying, feminicidio, aborto, enfim, temas relevantes que os nossos patrulheiros palestram para os estudantes das escolas da cidade. É uma forma de chamar a a atenção para essas pautas e buscar que esses jovens sejam multiplicadores no combate a essas questões”, explicou Edinaldo Neves.

A entidade conta com voluntários, entre eles, militares das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) e oferece atividades de segunda a sexta, com lanche diário.

PUBLICIDADE