PUBLICIDADE

Mãe e filhos, em cárcere privado há 17 anos, são libertados no Rio de Janeiro

G1 em 29 de Julho de 2022

Reprodução

Casa onde a família foi encontrada

Uma mulher e dois jovens, de 19 e 22 anos - mantidos em cárcere privado há 17 anos - foram libertados ontem (28) por policiais em uma casa na zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Militar (PM), os três foram encontrados amarrados, no bairro de Guaratiba. Os policiais foram ao local após receber uma denúncia anônima. As vítimas estavam sujas e subnutridas, de acordo com a PM, e foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).  As identidades das vítimas não foram divulgadas.

O suspeito de mantê-las presas era o próprio marido e pai das vítimas, Luiz Antônio Santos Silva, apelidado de Dj por colocar música alta para abafar os gritos de socorro.   

Policiais militares foram até a casa após uma denúncia anônima. O agressor foi preso por agentes do 27º BPM e vai responder por sequestro ou cárcere privado; vias de fato; maus-tratos e crime de tortura. A 43ª DP vai investigar o caso.    

Segundo os policiais que libertaram as vítimas, a principal preocupação no momento do resgate foi oferecer atendimento médico. "A situação era estarrecedora", resumiu o policial militar que prestou socorro. A mulher e os dois filhos viviam em condições sub-humanas, amarradas e sem higiene havia 17 anos. 

Reprodução

Luiz Antonio Santos Silva foi preso por manter a família em cárcere privado

Em depoimento à polícia, a mulher disse que os três sofriam violência física e psicológica de forma permanente e que eles chegavam a ficar três dias sem comer. Ela também afirmou que Luiz Antonio Santos Silva nunca permitiu que trabalhasse nem que os filhos frequentassem a escola. Eles têm aparência de crianças por causa da desnutrição. 

O que os vizinhos sabiam

Moradores contaram que, antes da denúncia anônima que levou a polícia até a casa da família nesta quinta-feira (28), outras denúncias já haviam sido feitas ao posto de saúde do bairro e ao Conselho Tutelar — mas nada adiantavam.    

Os vizinhos também relataram que Luiz Antonio costumava jogar fora a comida que recebia de doação para que a mulher e seu filhos não comessem.   

O vizinho Sebastião Gomes da Silva disse que conseguiu dar uma fruta para um dos filhos no dia em que a família foi resgatada. "A bichinha pegou a banana e comeu com casca e tudo. Ela estava com muita fome."

PUBLICIDADE