PUBLICIDADE

Operação prende suspeito de integrar facção criminosa e roubar motos na região

Leonardo Cabral em 30 de Junho de 2022

Divulgação/Polícia Civil de Ladário

Homem preso é suspeito de integrar PCC

Homem de 27 anos, suspeito de integrar A facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e roubar  motocicletas nas cidades de Ladário e Corumbá, foi preso na quarta-feira, 29 de junho, durante a Operação “Proibida”, deflagrada pelo Setor de Investigação Geral (S.I.G.) da Delegacia de Ladário, em conjunto com Policiais Civis da 1ª DP e Policiais Penais da UMMVE de Corumbá.     

A operação é uma continuidade do trabalho investigativo da Polícia Civil, e tem como objetivo desarticular organização criminosa estruturada e voltada para a prática de roubos de moto na região de fronteira. Além do homem preso nesta quarta, conforme apurou o Diário Corumbaense, mais três pessoas foram levadas para a delegacia, ouvidas e liberadas.

O grupo 

As investigações apontam que o grupo agia de forma coordenada e com distribuição de funções: havia o responsável por guardar as armas (paiol), aqueles que escolhiam as vítimas e motos, outros executavam os crimes, e, ainda, os responsáveis por "atravessar" os veículos roubados para a Bolívia. Outras três pessoas foram presas, mas os suspeitos respondem em liberdade. As prisões ocorreram em maio. m no mês de maio.   

Divulgação/Polícia Civil Ladário

Operação tem como objetivo desarticular organização criminosa

Desde o início das investigações, já foram cumpridos quatro mandados de busca domiciliar, apreendida uma arma de fogo do tipo pistola utilizada para praticar os assaltos, além de munições (incluindo de fuzil). Participaram da operação 16 policiais das forças de segurança.

"Proibida"      

O nome da operação é uma alusão a uma das integrantes da quadrilha que foi presa e agia com extrema crueldade com as vítimas. A investigação prossegue para apurar toda a dinâmica dos crimes e a existência de outras vítimas.

A população pode fazer denúncias à Polícia Civil de Ladário, via aplicativo WhatsApp pelo número (67) 3226-1090. O sigilo da identidade e do número telefônico são mantidos.

PUBLICIDADE