PUBLICIDADE

Cidade Dom Bosco promove atividades de combate ao trabalho infantil

Da Redação com assessoria de imprensa em 23 de Junho de 2022

Divulgação

Intenção é que crianças e adolescentes saibam que o trabalho infantil é ilegal e deve ser denunciado

Junho é o mês voltado para o combate ao trabalho infantil. No último dia 12, foi celebrado o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, instituído pela Organização Internacional do Trabalho, em 2002. Para conscientizar as crianças e adolescentes atendidas nos projetos, a Cidade Dom Bosco tem desenvolvido diversas atividades, ao longo do mês, sobre a temática.

No PCAF (Programa Crianças e Adolescentes Felizes), as atividades vão desde oficinas até rodas de conversa, passando por debates, atividades de pintura, escritas de teatros, música e textos sobre a temática.

“Nossa intenção é deixar bem claro para eles que o trabalho infantojuvenil não é uma prática correta, é algo ilegal. As crianças e adolescentes se tornaram multiplicadores das boas práticas e verdadeiros guardiões. Eles estão em processo de formação e, por isso, é tão importante já terem acesso a esse tipo de informações. Pensando nisso, planejamos ações diferentes sobre o mesmo tema”, explica a responsável pelo PCAF, Karen Silva Simões.

Nas salas, os educadores estão propondo atividades relacionadas às ODS (Objetivos de Desenvolvido Sustentável), proposto pela ONU (Organização das Nações Unidades). “A ideia é que, de cada oficina, saia uma atividade para expor e compartilhar com os colegas, como maquetes, vídeos, painéis, cartazes, panfletos, entre outros”, explica Karen.

O resultado do trabalho desenvolvido ao longo do mês será compartilhado na próxima segunda-feira (27), no Dia do Brincar da instituição. As crianças e adolescentes compartilharão o que aprenderam em sala com os demais educandos e, depois, participarão de um período de brincadeiras e jogos. 


Programa Adolescente Aprendiz também realiza ações nas empresas

No Programa Adolescente Aprendiz, também foram desenvolvidas atividades relacionadas à data. Vinte e três empresas, em Corumbá, que contratam adolescentes por meio do Programa de Aprendizagem recebem, neste mês, uma placa, com a foto do adolescente, a Lei da Aprendizagem e o catavento, que faz alusão ao combate ao trabalho infantojuvenil.

A intenção é que as empresas instalem a placa em local visível, em uma demonstração de apoio à Lei do Aprendizado. Também foram desenvolvidas rodas de conversa com os adolescentes atendidos para falar sobre o combate ao trabalho infantojuvenil e como a legislação em vigor os ampara. 

Trabalho infantil no Brasil

Segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), em 2019, havia 38,3 milhões de pessoas entre 5 e 17 anos de idade, das quais 1,8 milhão estavam em situação de trabalho infantil, o correspondente a 4,6%. Deste total, 706 mil estavam ocupadas nas piores formas de trabalho infantil. Os dados são os mais recentes já divulgados.

No Brasil, o 12 de junho também foi instituído como Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil, pela lei n° 11.542/2007. O símbolo da campanha e da luta contra o trabalho infantil no Brasil e no mundo é o cata-vento de cinco pontas coloridas. Ele tem um sentido lúdico e expressa a alegria que deve estar presente na vida das crianças e adolescentes.

“Vivemos em uma região de fronteira, em que as crianças e adolescentes vivem de forma ainda mais vulnerável, por diversas vezes. Isso só reforça a importância de trabalharmos estes temas em nossa obra. É a partir da informação, do conhecimento que conseguiremos mudar a realidade”, afirma o Diretor da Cidade Dom Bosco, Padre Eduardo Moura.

A Cidade Dom Bosco

Fundada há mais de 60 anos pelo falecido padre Ernesto Sassida, a Cidade Dom Bosco é uma organização sócio assistencial que atende preferencialmente crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, estendendo suas ações ao grupo familiar do seu público-alvo, na cidade de Corumbá/MS

Atualmente a organização desenvolve três programas sociais, sendo eles o Programa Crianças e Adolescentes Felizes (PCAF), Programa Adoção a Distância e o Programa Adolescente Aprendiz.

PUBLICIDADE