PUBLICIDADE

Prefeitura e associações de matriz africana fazem visita técnica para reordenamento do Vale dos Orixás

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 22 de Junho de 2022

Gisele Ribeiro/PMC

Vale dos Orixás fica distante 30 quilômetros da área urbana de Corumbá

A Prefeitura de Corumbá, por meio da Fundação de Meio Ambiente do Pantanal e Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania, fez uma vistoria técnica na região do Vale dos Orixás, distante aproximadamente 30 quilômetros da área urbana do município. A vistoria, na terça-feira, 21 de junho, contou com presenças de representantes da Sucursal Intermunicipal dos Cultos Afro Brasileiros (SinFecams) e da Acorema (Associação de Religiões de Matriz Africana de Corumbá e Região).

“Fomos procurados pela presidência da Acorema para uma reunião no local para especificarmos corretamente o que pode e o que não pode. Aquela área, onde são feitos os trabalhos, é uma concessão do Parque Piraputangas para associações de Umbanda e  Candomblé. O Município cedeu para que eles realizassem os trabalhos religiosos. Estivemos lá para orientar sobre o que pode e o que não pode e fizemos uma fiscalização na área. Vamos colocar placas sinalizando permissões e proibições, inclusive situações de intervenção no meio natural, o que não pode; e a conscientização para a limpeza. Estamos prontos para fazer um trabalho conjunto com as associações de umbanda e candomblé”, disse Ana Cláudia Moreira Boabaid, diretora-presidente da Fundação de Meio Ambiente do Pantanal.

Presidente da Acorema, Clemilson Medina, que fez o pedido de reunião e visita ao local para a Fundação, participou da vistoria técnica. “Nossa preocupação era que o Meio Ambiente viesse junto fazer essa visita e passar, para nós, das associações, os direitos e deveres que têm que ser constituídos aqui dentro”, afirmou. “Nós temos que preservar e zelar, sabendo o que podemos fazer e o que não podemos”, completou Medina.

Gisele Ribeiro/PMC

Área é uma concessão do Parque Piraputangas para associações de Umbanda e Candomblé

Marcos Vinicius Queiroz, presidente da Sucursal Intermunicipal dos Cultos Afro Brasileiros (SinFecams) também acompanhou a vistoria. “Há desencontro entre todas as casas e as tendas espíritas, tanto de Candomblé como de Umbanda, quanto ao uso e ocupação dessa área”, pontuou ao destacar que são mais de 300 casas de religiões de matriz africana em Corumbá.

O gerente de Políticas Públicas para Igualdade Racial, Alexsandre Pereira de Souza, participou da vistoria técnica ao Vale dos Orixás. “Tratamos da reordenação, limpeza e uso do Vale dos Orixás, conseguimos reunir todos numa direção. Todos tiveram voz para agregar sugestões”, afirmou  o gerente ao destacar o trabalho realizado pelo prefeito Marcelo Iunes e secretária de Assistência Social, Amanda Balancieri Iunes, para garantir a livre manifestação religiosa das comunidades de matriz africana.

PUBLICIDADE