PUBLICIDADE

Em ação coordenada com a PRF, Polícia Civil captura sexto envolvido em caso do "tribunal do crime"

Ricardo Albertoni e Rosana Nunes em 15 de Junho de 2022

Divulgação/Polícia Civil

Envolvido em "tribunal do crime" ia fugir para Campo Grande

Ação coordenada por policiais civis de Ladário e Corumbá e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na noite de terça-feira (14) resultou na captura de indivíduo de 19 anos, identificado pelas iniciais  J.J.G.S.

Ele é sexto envolvido no caso ocorrido entre sábado e domingo (11 e 12), em que um homem de 40 anos foi sequestrado, torturado e mantido em cárcere privado por facção criminosa com o objetivo de ser “julgado em um tribunal do crime” por suposto estupro de uma criança.

O indivíduo capturado, de acordo com as autoridades policiais, trata-se do sexto indivíduo que aparece no vídeo que circulou pelas redes sociais, que mostra uma sessão de tortura e ameaças contra o homem. Ainda segundo a Polícia, ele seria um dos três adolescentes que fugiram da Unidade Educacional de Internação (Unei) Pantanal, em 2019.

A partir de um trabalho de inteligência, a Polícia Civil obteve a informação de que ele estaria fugindo para Campo Grande, em um veículo de aplicativo. Após mandado de prisão expedido pela Justiça, o indivíduo foi abordado por policiais rodoviários federais no posto de fiscalização de Terenos, preso e encaminhado para Corumbá para a conclusão das investigações.

O caso

Equipes da Polícia Civil e da Polícia Penal de Corumbá resgataram no domingo (12) homem de 40 anos que havia sido sequestrado, torturado e mantido em cárcere privado por facção criminosa, sob acusação de estupro de uma criança.

Reprodução

As agressões começaram no final da tarde de sábado, na residência da mãe da criança que supostamente teria sido abusada, localizada no bairro Universitário. Depois, ele foi levado para outra casa, no bairro Guatós. 

Segundo o boletim de ocorrência, o homem combinou programa sexual com uma mulher. Na casa, estavam duas adultas e uma criança. Uma das mulheres saiu e quando retornou, afirmou ter encontrado a filha chorando e ela teria dito que o homem mostrou o órgão genital à ela. Na residência da mãe da criança, os policiais encontraram um socador com marca aparente de sangue e uma faca. 

O resgate foi possível graças à denúncia de um colega de trabalho da vítima, que identificou o homem em um vídeo que mostrava uma série de agressões e ameaças durante um “tribunal do crime”.

No cativeiro, o homem foi encontrado pelos policiais com braço quebrado e diversos ferimentos e hematomas pelo corpo. Na ação, os policiais prenderam cinco pessoas (3 mulheres de 39, 25 e 18 anos e 2 homens, de 29 e 23 anos). Somente o sexto envolvido, preso nesta terça-feira, não havia sido localizado.

De acordo com o delegado Willian Rodrigues, todos irão responder por tortura, sequestro, cárcere privado e organização criminosa.  

PUBLICIDADE