PUBLICIDADE

Em busca do tricampeonato, A Pesada levanta o público misturando forró e samba

Leonardo Cabral em 24 de Abril de 2022

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Presidente da escola, Ney Colombo, representando “Priamo”, o Rei de Tróia, pai de Páris e, Dona Julieta. esposa dele, representando “Hécuba”

Entrando na Avenida General Rondon para defender o título e ir em busca do Tri, o Grêmio Recreativo Escola de Samba A Pesada, ousou trazer enredo que falou sobre o amor e a tragédia que ocorrem no mundo desde a sua criação. A agremiação retratou alguns fatos históricos que mexeram com o sentimento da humanidade, com quatro grandes encenações, levantando o público durante sua apresentação.

As histórias foram divididas em quatro setores: o amor de Paris por Helena; o romance da clássica peça teatral Romeu e Julieta de Shakespeare; a história de amor e tragédia de Lampião e Maria Bonita e encerrando com uma história de amor que o ser humano deveria ter pelo planeta, dando assim, a origem do enredo: “Em uma história de amor, nem tudo que reluz é ouro”.

Na comissão de frente, a escola retratou “Um presente de Grego”, quando os Troianos recebem um cavalo como troféu de guerra. A comissão, composta por 12 personagens, representou a invasão de Troia pelos soldados comandados pelo Semideus Grego Aquiles, que entram na cidade para resgatar Helena, esposa do Rei de Esparta “Menelau” sequestrada pelo príncipe Páris, que por ela havia se apaixonado.

Semideus Grego Aquiles, segundo a lenda, era invencível, tendo apenas o calcanhar como ponto fraco, originando assim, a expressão “calcanhar de Aquiles”. A comissão ainda trouxe um carro alegórico de porte pequeno, tipo tripé, representando o Cavalo de Tróia. A Deusa “Afrodite”, a deusa do amor, também veio logo após a comissão de frente.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Robson e Francielly, casal de mestre-sala e porta-bandeira

O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Robson e Francielly, veio com a fantasia do príncipe “Páris” de Tróia e a princesa “Helena” de Esparta. Fantasia em prata e preto representando o luto pelos mortos na guerra. O mestre-sala trouxe a fantasia de luxo da época simbolizando um guerreiro.

Como personagens que representam as filhas de Zeus, deusas do Olimpo, as baianas vieram com fantasia em dourado com tons de azul, seguidas pelas Troianas, representando as mulheres da cidade de Tróia.

Todo o palco da guerra, foi retratado no primeiro carro alegórico, representando também o Olimpo, a Morada dos Deuses, trazendo a figura do presidente da Agremiação, Ney Colombo, representando “Priamo”. o Rei de Tróia, pai de Páris e, Dona Julieta esposa dele, representando “Hécuba”, mãe de Páris.

Entrando no segundo setor, com a tragédia de amor entre Romeu e Julieta, um amor proibido, a escola representou um dos maiores clássicos da literatura mundial e uma das obras mais emblemáticas de Shakespeare.

A  ala da literatura, com as obras do escritor inglês foi mostrada. O segundo casal de mestre-sala e porta-bandeira, Victor Hugo e Júlia, com a fantasia dos personagens principais do conto, Romeu e Julieta, que viveram um amor impossível, pelo fato de serem de famílias rivais, trazendo a ala com o Grande Baile de Máscaras, onde Romeu se apaixona por uma das damas presentes na festa, Julieta, originando essa linda história de amor.

Com a tragédia, a agremiação mostrou o caso de amor com final trágico de Lampião e Maria Bonita. O cangaceiro mais famoso, Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, também denominado Senhor do Sertão e O Rei do Cangaço. Ele começou sua vida criminosa ainda jovem, alegando uma vingança que nunca aconteceu. Vagando por Santa Brígida, no estado da Bahia, ele conheceu Maria Alia da Silva, também conhecida como Maria de Déia, esposa do sapateiro Zé de Nenê, onde mais tarde, ela seria conhecida como Maria Bonita.

E claro, A Pesada deixou recado, com o ato de reciclar, que é um sentimento de amor ao Planeta, pois a tragédia deste amor, está na desobediência, na poluição e outros métodos como a queimada das matas sem fiscalização dos órgãos competentes – Saúde, Educação e Segurança, setores principais afetados pela falta de consciência com a reciclagem. A ala dos garis, com crianças, foi aplaudida pelo público, que se encantou com os pequenos sambando.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Bateria Barcelona, comandada pelo mestre Diego e a rainha Izaura deram show na avenida

O desfile foi encerrado pela bateria Barcelona, um dos pontos altos da agremiação, que fez uso do recuo. Os ritmistas, que vieram como “Cangaceiros de Lampião”, comandados pelo mestre Diego Rojas, deram um show à parte, encantando o público, que ovacionou os integrantes. Os ritmistas fizeram a tradicional “paradinha” e com a batida, entoaram o pulsar do coração, em parte do samba-enredo, convidando o público a entoar o amor pela A Pesada, com o refrão: “A minha paixão já está revelada...Te amo Pesada”.

Mais uma vez ousado, Diego, no decorrer do desfile, apresentou, através de bossas criadas por ele mesmo, algumas batidas típicas de danças da época do cangaço, como o xote, xaxado e forró, batidas típicas do cangaço, inclusive com o  uso do triângulo. Logo à frente, a Rainha de Bateria, Izaura Colombo, veio como Maria Bonita.

Izaura mostrou muito samba no pé e simpatia, ao interpretar a esposa do cangaceiro. Junto com a bateria, deu um toque a mais na coreografia apresentada durante a passagem pela avenida.Ela e Diego, interpretando Lampião e Maria Bonita, dançaram forró em plena avenida General Rondon.

Ainda ao lado dela, as guardiãs da Rainha do Cangaço, mulheres dos cangaceiros que como Maria Bonita participavam do dia a dia do bando e também na hora do combate, foram representadas pelas guardiãs, que  rodeavam Izaura, fazendo a sua proteção.

Além do título oficial, A Pesada é uma das dez escolas de samba de Corumbá que concorrem à 12ª edição do Esplendor do Samba, premiação paralela realizada pelo jornal Diário Corumbaense para valorizar aqueles que fazem o show no carnaval do município pantaneiro.

Comentários:

lelia carvalho Guilherme: Estou torcendo para que a Escola de Samba A Pesada consiga ser pela terceira vez Campeã. Bem merecido.Desfilávamos sempre na Escola eu e minha saudosa irmã Adenir de Carvalho( Pretinha.) falecida em 2020. Este ano não sai na Pesada. Mas o meu coração continua sendo sempre a Pesada.

PUBLICIDADE