PUBLICIDADE

Fogo no Passo do Lontra deixa ovos de jacarés “cozidos” e animais mortos

Leonardo Cabral em 11 de Março de 2022

Reprodução/vídeo GRETAP-MS

Ovos foram "cozidos" e jacaré fêmea encontrada morta na região dos focos de incêndio

Mais uma vez, animais foram vítimas de focos de incêndio no Pantanal. Um ninho de jacaré, com ovos, acabaram “cozidos” pelas chamas que atingiram a MS-184, na região do Passo do Lontra na última terça-feira (08). Os ovos foram encontrados nesta quinta-feira (10).

Além dos ovos de jacarés, outros animais foram encontrados pelo GRETAP-MS (Grupo de Resgate Técnico Animal Cerrado Pantanal), carbonizados. O biólogo Sérgio Barreto, do IHP (Instituto Homem Pantaneiro), uma das instituições que integra o Gretap, afirmou que, no local, o ambiente ainda estava muito quente.

“Apesar de os bombeiros terem apagado os focos, o solo ainda está muito quente aqui. Encontramos um jacaré, que, provavelmente, é uma fêmea. Ela estava a cerca de três metros do ninho, que tinha vários ovos. Certamente, não quis deixar o ninho na hora em que as chamas se aproximaram”, relatou.

A ida do Gretap à região foi para fazer um levantamento do número de animais atingidos e também prestar socorro, se necessário. O grupo é formado por 10 instituições que trabalham em prol da fauna. A ação contou com o apoio da World Animal Protection.

Incêndio

Desde 08 de março, equipes do Corpo de Bombeiros de Corumbá, Aquidauana e Campo Grande, estão na região do Passo do Lontra, contendo as chamas. Além dos militares, brigadistas de fazendas próximas aos focos atuam no combate ao fogo.

Diário Corumbaense

Fogo está sendo controlado na região

Ao Diário Corumbaense, foi informado que na quinta-feira o combate ao fogo se concentrou às margens do rio Miranda, evitando que o fogo ultrapassasse de uma margem para a outra.

Corumbá, conforme dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), segue liderando o ranking de cidades com mais focos de queimadas em 2021, chegando a 102 focos. No mês de março, são 19 focos e nas últimas 48h, nove queimadas contabilizadas. 

GRETAP-MS

O GRETAP-MS é formado pela Semagro, Imasul, CRMV-MS, UCDB, Ibama, Instituto Tamanduá, IHP, Fundação Municipal do Meio Ambiente de Corumbá, UFMS, PMA e Corpo de Bombeiros.

O grupo surgiu da necessidade da atuação de profissionais na área de Resgate Técnico Animal durante as queimadas que atingiram o Pantanal em 2020. Naquele ano, a equipe atendeu 102 animais diretamente com cuidados veterinários, translocação ou assistencialismo direto, além dos inúmeros animais que receberam assistencialismo indireto por meio dos pontos de alimentação. Todo o trabalho realizado só é possível graças às doações recebidas.

Com informações da assessoria de imprensa do IHP.

PUBLICIDADE