PUBLICIDADE

PMA autuou 273 pessoas por pesca ilegal e aplicou R$ 717 mil em multas em 2021

Leonardo Cabral em 13 de Janeiro de 2022

Divulgação/PMA

PMA também trabalha em ações para retirar dos rios petrechos proibidos

Um total de 155 pessoas foram autuadas e presas por crime de pesca predatória, que tem pena prevista de um a três anos de detenção, em Mato Grosso do Sul, durante 2021.

Outras 118 foram autuadas por pescar sem a licença ambiental, o que não é crime, mas tem multa prevista de R$ 700,00 a R$ 100 mil. Esses infratores foram multados em R$ 717.478,86 e com eles, apreendidos 1.662 kg de pescado. 

Para evitar esses crimes, a Polícia Militar Ambiental tem trabalhado preventivamente no combate ao uso de petrechos proibidos, como as redes de pesca, espinhéis, anzóis de galho e tarrafas, pelo alto poder de captura e depredação de cardumes.

A manutenção da fiscalização e retirada desses petrechos precisam ser constantes. Pescadores infratores armam o material na madrugada e ficam somente conferindo se pegaram as espécies quando não observam a presença da fiscalização, o que torna a prisão dos indivíduos que armam os petrechos ilegais muito difícil, devido ao pouco tempo que ficam nos rios.

Foram apreendidos em 2021, 630 redes, medindo um total de 29 km, ou seja, a distância entre Campo Grande e Jaraguari; 48 tarrafas; 103 cordas de espinheis, com média de 20 anzóis armados em cada uma, perfazendo cerca de 2.060 anzóis; 89 boias (joão-bobo), além de 4.535 anzóis e galho, petrechos esses que causariam grandes prejuízos aos recursos pesqueiros.

Em prejuízo financeiro aos pescadores foram apreendidos 67 embarcações, entre lanchas, barcos de alumínio e chalana e quatro canoas, 62 motores de popa, 325 molinetes e carretilhas com varas, além de 21 veículos.

Com informações da PMA.

PUBLICIDADE