Menu

Polícia + Seções

Fale Conosco
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Dupla acusada da morte de "Robinho" se apresenta à Polícia Civil de Corumbá

Camila Cavalcante em 13 de Março de 2013

Ronaldo Fernando Lescano, de 20 anos, e Geraldo Lemos, 29 anos, acusados da morte de Robert Toledo Vicente, 28 anos, o "Robinho", na madrugada de 27 de janeiro deste ano, no cruzamento da avenida General Rondon e rua Sete de Setembro, se apresentaram à Polícia Civil de Corumbá, na tarde desta quarta-feira, 13 de março. Eles estavam foragidos desde a madrugada do crime.

Ronaldo e Geraldo, ao serem encaminhados para exame de corpo de delito

"Os acusados eram considerados fugitivos, pois, logo após os fatos, a Polícia Civil de Corumbá, pediu a prisão deles e a primeira Vara concedeu os mandados, e desde então, eram considerados foragidos, pois não se apresentaram. Fizemos várias diligências, que também contaram com apoio policial nas cidades de Jardim e Campo Grande, e por bem, a defesa entrou em contato com a Delegacia de Polícia Civil de Corumbá e os apresentou nesta quarta-feira", explicou o delegado Gustavo de Oliveira Bueno Vieira, titular do 1º Distrito Policial.

A dupla foi ouvida na mesma tarde e segundo destacou o delegado, ambos alegaram que não se entregaram antes, por medo, e disseram ter agido em legítima defesa, o que, segundo Gustavo Bueno, é contestado pelas provas. "Temos imagens, testemunhas idôneas, que apontam que a intenção dos acusados não era defesa e sim a intenção de agir contra as vítimas, tanto que temos duas vítimas, o Robert, que morreu e uma segunda vítima, que foi esfaqueada. Os acusados serão ouvidos, e já no dia que se apresentaram, foi aplicada a prisão temporária de 05 dias, em que eles ficarão aqui, à disposição da Justiça. Depois, eles poderão ser liberados, ou poderão ser encaminhados ao presídio masculino de Corumbá".

Delegado Gustavo Bueno, titular do 1º Distrito Policial

De acordo com os crimes aos quais estão sendo acusados - tentativa de homicídio e homicídio qualificado -, o delegado informou que a dupla pode pegar pena máxima de 30 anos. "O Geraldo e o Ronaldo responderão por tentativa de homicídio e homicídio qualificado, apesar de que o Ronaldo foi o autor da facada; o Geraldo possibilitou a fuga, então, de acordo com o Código Penal, no artigo 29, ‘quem de qualquer modo contribui para prática de evento criminoso, responderá por ele na medida de sua culpabilidade', logo, o Ronaldo terá uma pena maior, porém, ambos responderão pelo mesmo crime", explicou o delegado.

Reprodução/Facebook

Roberto Toledo, o Robinho, morto em janeiro deste ano


O caso

Robert foi morto por volta das 04 horas do dia 27 de janeiro, no cruzamento da rua Sete de Setembro e avenida General Rondon. O boletim de ocorrência (688/2013), registrado na Delegacia de Polícia Civil, trouxe a informação que a vítima estava em um bar, na avenida General Rondon, acompanhada de amigos. Lá, houve um desentendimento com Ronaldo. Depois de sair do estabelecimento comercial, a vítima foi abordada pelo acusado que lhe acertou uma facada. Robert ainda foi levado ao pronto-socorro, mas chegou sem vida.

Amigos ainda tentaram afastar o autor dos golpes. Um deles chegou a ser ferido no braço e tórax. O autor fugiu numa caminhonete, que estaria sendo conduzida por Geraldo.

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
Fale com o Jornalista
Comentários:

carolina arruda da silva: ate que enfim a justiça foi feita...espero que esses mostros fiquem presos....

Ana Silvia Dias de Brito: È preciso apurar os fatos porque infelzimente depoisd e morto todo mundo vira santo..Corumbá é uma cidade que cultiva a cultura de influentes e abastados sempre terem a razão...

Justa Verony: Que a justiça seja feita, e se há provas , não há o que contestar! Nada justifica, um ser humano tirar a vida de outro, de forma tão covarde!!!! Se não tivesse culpa, se apresentaria logo após o ocorrido!

sailon ulsses arrua de souza: ´´e mais a justiça tem que ser feita pros dois lados, porque também injustiça o que fizeram na casa e supermercado da familia do acusado. depois que a pessoa morre até um cara briguento que se achava o rei do mundo porque tinha um carro e um som, vira santinho do pau oco. deixo aqui a minha insatisfação com o ocorrido.

silvéria o.alves: Nem uma das atitudes justifica os meios ,ninguém tem direito de tirar a vida de outro afinal esse empresário veio de outa cidade pra pratica violência .Esse não é um exemplo de um homem que já é pai é tem uma esposa batalhadeira tudo issso é uma pena por que vai perder tudo por banalidade é falta de DEUS em suas vida.

carla erika ferrreira santos: não interessa se foi santo ou não.o que importa é que seja feita a justiça.pois nenhum de nós seres humanos temos o direito de tirarmos a vida de outro ser.somente deus. eu não sou amiga da vitima e muito menos amiga e parente dos acusados. mas,quem fica ai defendendo um lado .pense se fosse seus parentes ou amigo .como vcs estariam? com certeza pedindo justiça.

Giovanna Leite: Nada justifica tirar a vida de uma pessoa mesmo concordo plenamente! Os fatos estão sendo apurados e cada qual com suas ações feitas irão sim responder por isso, senão eles não tinham nem se apresentado, se a intenção não fosse essa! E ao contrário de alguns comentários feitos, o ''empresário'' é uma pessoa de uma índole inquestionável, um homem muito trabalhador e um pai muito presente e amável, que quem conhece sabe a pessoa maravilhosa que ele é com todos a sua volta! E ninguém pode acusá-lo de nada já que as provas ainda estão sendo analisadas e ele quando viu varias pessoas em cima do acusado quis tentar socorre-lo já que ele estava sendo agredido, saiu dali foi na delegacia para registrar um boletim de ocorrencia foi perseguido por isso abandonou a caminhonete e só não se apresentou antes pois depredaram a casa e o comércio inclusive por duas vezes,sendo uma com arma de fogo, e ao contrário do que dizem não estava armado, tao pouco teve participação na briga! Acredito que a verdade aparecerá sim, pois eu confio que a justiça será feita!!

CLAUDIO GARCIA PALERMO: Conheço Geraldo e Ronaldo, e afirmo com convicção a toda sociedade corumbaense que, eles são pessõas honestas, trabalhadoras, dignas, humildes e com alicerce famíliar e, a prova do que estou falando é que com certeza nada foi encontrado nos arquivos da polícia que comprometesse a conduta social desses meninos.Na minha opinião, as circunstâncias do momento justificaram os fatos, isto é, qualquer ser humano age irracionalmente para defender a própria vida e, em se tratando de amigos, nenhum abandona o outro na hora do perigo. O que realmente ocorreu é que eles estavam no dia errado em lugar errado e na hora errada. ELES NÃO SÃO BANDIDOS. Sinto pelos famíliares das vitimas e peço a Deus que os liberte de qualquer sentimento negativo, porque também tenho filhos. "Confie no Senhor, e ele o ajudará; seja reto o seu caminho, e espere no Senhor". Eclo-2.6.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE